Julho Amarelo: As hepatites virais e a doação de sangue

Segunda, 19 de julho de 2021

O mês de julho é conhecido como Julho Amarelo, mês voltado para conscientização das hepatites virais. A hepatite é uma doença que atinge principalmente o fígado e provoca consequências como cirrose, câncer e pode levar à morte. As hepatites virais, foco da campanha de Julho Amarelo, são inflamações causadas por vírus e divididas em algumas letras do alfabeto A, B, C, D e E. Conheça mais sobre cada uma delas: 

É a hepatite com maior número de casos, é uma doença contagiosa causada pelo vírus A (VHA) e é transmitida por meio feco-oral, em condições relacionadas a saneamento básico e higiene, como água ou alimentos contaminados pelo vírus. Ela é uma doença leve e se cura sozinha. A vacina contra hepatite A (HepA) é a principal forma de prevenção.   

HEPATITE B

É a segunda maior em incidência, é soro-homóloga, causada pelo vírus B (HBV) e a transmissão ocorre pelo vírus presente no sangue, no esperma e no leite materno. Esse tipo de hepatite não tem cura, mas o tratamento freia a progressão da doença. A prevenção é feita pela vacinação (vacina contra hepatite B), associada ao uso do preservativo em todas relações sexuais. 

HEPATITE C

É considerada uma epidemia cinco vezes superior à AIDS/HIV, sua transmissão ocorre pelo sangue, por meio do vírus HCV e é a principal causa de transplante de fígado. A transmissão ocorre pelo compartilhamento de seringas, agulhas, itens de higiene pessoal, gravidez (da mãe infectada), leite materno e sexo sem preservativo. A prevenção é feita pelo não contato com o sangue infectado, não existe vacina.

HEPATITE D

Causada pelo vírus delta HDV ocorre apenas em pacientes infectados pela hepatite B, o que acelera a progressão da doença e pode levar à morte.  Os meios de contaminação são os mesmos da hepatite B, a vacinação contra a hepatite B também protege contra a infecção pelo tipo D. 

HEPATITETE

Esse é o tipo menos comum de hepatite com rara ocorrência no Brasil, sendo mais comum na África e Ásia. A transmissão ocorre da mesma maneira que a hepatite A, por via fecal-oral, então para prevenir é necessário melhorar as condições de higiene e o saneamento básico. Não existe vacina.  

Hepatite e a doação de sangue 

Existe um mito que pessoas que já tiveram hepatite não podem doar sangue, mas existem algumas possibilidades para doação, sendo elas:

• Quem teve hepatite até os 11 anos pode doar sangue;

Quem teve hepatite após os 11 anos pode doar sangue caso não tenha evidência clínica ou laboratorial da doença no sangue.

As hepatites virais são doenças silenciosas e graves, por isso é importante se vacinar e tomar os cuidados necessários para prevenção das doenças, além de fazer o teste regularmente!

Cuide-se e siga o Programa Um Só Sangue nas redes sociais: 

/LinkedIn

/Facebook

/Instagram